Mensagem para ti

Do que tens medo? O que está dentro de ti que te causa medo, angústia, receio, sofrimento?
Tens de te proteger, sem dúvida, mas não tens de viver em função do medo... isso não é viver...
Protege-te sim, mas não te protejas por medo, por esse medo incontrolável da perda... tu não perdes nada... porque tu não tens nada. Como podes perder o que não tens, o que não é teu?
Tu não controlas nada, por mais que tentes, por mais que receies perder, tu não controlas nada. Nada é teu, nada é de ninguém, tudo isto é efémero, a perda não pertence à eternidade, à verdadeira eternidade, à real, àquela que existe...

Confia, confia em ti, confia no teu Amor, no amor verdadeiro, real, no Amor Incondicional... confia na Compaixão...

Não existe perda, o material é efémero... percorre o teu caminho, passo a passo, sem magoar ninguém, ajudando, ensinando, transmitindo conhecimento, mensagens... mostra que é possível mudar, que é possível evoluir, ensina... aprende... transmite... dá... recebe... evolui... um passo de cada vez... um dia de cada vez... sem medo da perda... sem controlar o que não pode ser controlado nem é controlável...

A matéria é efémera...
A energia é a eternidade...

Tu tens acesso aos ensinamentos, usa-os, ouve-os, interpreta-os, sente-os com o coração...

Evolui, liberta-te, liberta-te desse medo incontrolável que te prende, que te impede de progredir, deixa-o ir, expira esse medo...

Inspira confiança, inspira amor, inspira perdão por ti própria, expira o medo, expira a dor, expira a perda, expira a culpa...

Liberta-te do que te faz mal...

Ama, ama sem medo,
ama, ama sem controlo,
ama, ama sem mágoa,
ama, ama sem posse,
ama, ama sem culpa...
Ama, simplesmente ama.

Ama, exactamente como eu te amo!
Porque eu amo-te, nunca te esqueças disso!
Não importa o que faças, o que digas, o que sentes, eu amo-te!
Nada mais importa, a não ser o meu amor por ti!


(Carta do Arcanjo Miguel, da Doreen Virtue)

Culpa

“Tudo o que acontece é por minha causa!
Acontece-me tudo de mal! O que fiz para merecer isto? Só posso ter feito algo!
Não mereço nada de bom nesta vida!
Não presto!
Só magoo os outros!
Porto-me mal! / Portei-me mal!
Magoei alguém!”

...

Identificas-te nestas palavras? Em todas ou em algumas?
Sim?
Então sentes culpa. Culpas-te por algo que fizeste ou disseste, que magoou alguém.
Ou então achas que mereces os abusos físicos e/ou emocionais que recebes. Não foste perfeito, não te portaste bem, fizeste alguma asneira.

Tudo isto é o que sente alguém que vive com a culpa. Seja culpa em relação a outra pessoa, seja culpa em relação a si próprio.
E o que faz alguém que vive com culpa?
Magoa-se a si próprio, despreza-se, anula-se. E continua a ser o “saco de pancada” de si próprio e também dos outros.

De onde vem essa culpa? Como surgiu?

São várias as respostas:
- traumas de infância, seja em forma de abusos físicos, verbais ou emocionais, normalmente por parte dos pais ou de parentes mais próximos;
- bullying na escola, por ser diferente das restantes crianças ou adolescentes;
- uma frase dolorosa, como, por exemplo: “Fizeste tudo mal!”, por parte de uma figura materna ou paterna ou de um ídolo.

E tudo o que nos acontece vai ficando registado, principalmente no nosso inconsciente. Vai ficando cada vez mais recalcado, e ficamos cada vez mais deprimidos, a sentir cada vez mais culpa.
E os padrões vão-se repetindo, e cada vez mais estamos em desequilíbrio...

O que fazer para se lidar com a culpa? Como sair desta espiral descendente? Será que sou capaz?
Sim! És capaz!

Qual o primeiro passo?
Tomares consciência de que não estás bem e quereres melhorar, quereres melhorar a tua vida. Quereres quebrar o padrão, quereres evoluir.

Ok. Já dei o primeiro passo, já tenho consciência, quero mudar a minha vida. Quero ser feliz! E agora?
Existem várias ferramentas, vou referir-te algumas daqui a pouco. Mas é preciso que tenhas em atenção uma coisa: todas as ferramentas funcionam! Algumas funcionarão contigo, outras não, outras funcionam melhor com outras pessoas. Isto é normal, perfeitamente normal.

O mais importante é o teu compromisso!

As ferramentas ajudam a pescar, mas TU é que tens de pescar, tens de trabalhar! Tens de ir ao teu interior limpar o lixo, limpar o que já não te pertence, para esvaziares, para limpares, para criares espaço para receberes a Felicidade, o Perdão, a Harmonia, o Amor Incondicional.

Sugestões de ajuda
  • ·        Livros de auto-ajuda e desenvolvimento pessoal

Existem imensos autores que escreveram livros fantásticos de auto-ajuda: Louise Hay, Deepak Chopra, Wayne Dyer, Brian Weiss, Christiane Northrup, Alexandra Solnado, Adelino Cunha, entre muitos outros. Apenas tens de sentir com quem te identificas mais.
  • ·        Meditação

Meditar todos os dias, nem que sejam só 5 minutos, ajuda-nos imenso. No YouTube podes encontrar imensas meditações guiadas gratuitas, que te podem ajudar no início.

[E que tal subscreveres o meu canal de YouTube? Encontrarás lá algumas meditações guiadas. Clica aqui]

No entanto, se continuares a ter dificuldades, experimenta sessões de meditação presenciais ou via Skype. Por vezes, estar na presença de outra pessoa é mais fácil.
  • ·         Reiki

Reiki é uma terapia holística integrativa, não invasiva, realizada através da imposição das mãos, que te ajuda a equilibrar fisicamente, emocionalmente, mentalmente e também espiritualmente.
Mas Reiki não é só uma terapia. É também uma filosofia de vida, com cinco princípios orientadores:

Só por hoje,
Sou calmo,
Confio,
Sou grato,
Trabalho honestamente,
Sou bondoso.

Fazer umas sessões de Reiki presenciais ou até à distância poderão ajudar-te imenso.

[Podes ver aqui mais informações sobre Reiki]

  • ·         Psicólogo/psicoterapeuta

Achas as sugestões anteriores boas, mas precisas de algo mais, ou sentes que não é suficiente, ou só aquilo não chega.
Experimenta consultas com um psicólogo ou com um psicoterapeuta. Eles saberão, com a utilização de determinadas ferramentas, como ajudar-te a desbloquear, e a começares a sentir-te cada vez melhor.

Estão são algumas sugestões. Existem outras, sem dúvida.

O importante é procurares, até encontrares a ou as ferramentas que são melhores para ti, que te vão ajudar a curar e a sentires-te cada vez melhor.

Porque o Importante és TU! É o teu Equilíbrio, o teu Ser!

Tu mereces a cura! Tu mereces ser feliz! TU ÉS IMPORTANTE!

Que estas palavras te possam ajudar a encontrares o teu Caminho!


Namastê!

E a experiência continua...

É muito interessante fazer-se pequenas experiências no nosso dia-a-dia.

Como sabem, decidi estar sem ver televisão durante uma semana. Foi um desafio interessante, que me ajudou a perceber que vivemos demasiado "agarrados" a uma caixa e às imagens que aparecem nessa caixa (só me refiro à televisão, acho que não preciso dizer nada quanto ao telemóvel, certo?).

Os primeiros dias foram um pouco difíceis, principalmente na altura em que costumava ver mais televisão (início da noite). Mas a verdade é que, no meu caso, eu utilizava a televisão nessa altura para "disfarçar"a necessidade que sentia em estar algum tempo apenas comigo, fosse a meditar, ou apenas a Estar... Recordo-me perfeitamente da desculpa que costumava dar a mim própria, mas, de facto, era apenas isso, uma desculpa para não estar comigo, para não estar com os meus pensamentos, com os meus medos, com as minhas inseguranças... nem para estar com o meu Eu Superior...

Quando cheguei ao final da semana da experiência, percebi logo que ia continuar. Sim, é verdade, apesar de ter terminado a experiência, continuo sem ver televisão. Aproveito essa altura para estar mais comigo, para ler um e-book ou algum artigo de algum blogue interessante. Aproveito também essa altura para meditar, para estar com o meu Eu Superior...
E noto a diferença, sem dúvida! Estou mais relaxada na altura de ir dormir. Aos poucos vou ficando mais focada no que realmente quero (e preciso).

Como uma coisa tão simples pode ajudar a modificar o modo como vemos e sentimos a Vida!



7º dia sem televisão

E assim chegou o último dia da experiência que decidi fazer, estar uma semana sem ver televisão.

O dia correu bem, não senti necessidade de ver televisão, acho que nem me lembrei dela. Claro, quando temos várias coisas para fazer, é mais fácil "esquecermo-nos" do que não é tão importante... Mas é esse o objectivo, prestar atenção ao que é importante, ao que interessa verdadeiramente!

A televisão não é um"bicho papão", e pode também ser uma companhia para pessoas que, por diversos motivos, estão sós.
Mas a televisão também não é nem deve ser um substituto da vida...porque a vida é para ser vivida, só assim evoluímos, com as experiências da vida. Enquanto estamos a olhar para um ecrã, a ver "vidas fictícias", não estamos a viver. Temos de dar o valor devido à televisão, mas, acima de tudo, devemos pensar primeiro em nós, na nossa vida, nas nossas prioridades, no que realmente importa!